BAIRRO PORTUGUÊS DE MONTREAL

Tributo aos Obreiros da Comunidade
Da beira-mar à beira-Main

Página no facebook

  CLIQUE PARA LER A REPORTAGEM DOS BANCOS 

CLIQUE NAS PALAVRAS VERMELHAS PARA VIAJAR ATRAVÉS DA
MEMÓRIA PORTUGUESA DE MONTREAL

 

Pedro  da Silva visto pelo pintor luso-canadiano Paiva de Carvalho É quase certo que o primeiro português a pisar terras de Montreal foi Pedro da Silva, chegado à Nova França  em data incerta e que em 1677 casou com uma “fille du roi”, Jeanne Greslon, deixando numerosa prole,  da qual descendem  todos os daSilva, Sylva e Dasylva actuais, antes de morrer em 1717 na cidade do Quebeque.

Este bravo Silva é hoje figura histórica pois coube-lhe a missão de ser o primeiro carteiro oficial do Canada, transportando durante vários anos as mensagens do governador da Nova França entre Montreal e a cidade do Quebeque.

No dia 6 de Junho de 2003 os Correios do Canadá emitiram um selo em homenagem a Pedro da Silva

Já agora, conhecem a trágica história de amor de Marie-Josèphe Angélique, nascida na ilha da Madeira e enforcada em Montreal em 1734, acusada de deitar fogo à cidade?


Assinale-se também que os primeiros judeus de origem portuguesa chegaram a Montreal em 1760, tendo fundado em 1768 a primeira sinagoga do Quebeque e do Canadá.


 


Pioneiros Portugueses a bordo do satúrnia Contudo, a emigração portuguesa para o Canadá, e portanto para Montreal, só atingiu números significativos já na segunda metade do séc. XX, mais precisamente a partir de 13 de Maio de 1953, quando o primeiro contingente de 85 imigrantes portugueses (67 de Portugal Continental e 18 dos Açores), que deixara Lisboa a 8 de Maio, chegou ao porto de Halifax, a bordo do navio Satúrnia e entrou em terras canadianas pelo hoje célebre PIER 21.
Logo a seguir, no dia 1 de Junho, um outro contingente de 102 portugueses, desta vez oriundo da ilha da Madeira, chegou a Halifax, a bordo do Nea Hellas.


 


Cidade de Montreal Em Montreal, a bela cidade francófona da América do Norte, na província do Quebeque, residem cerca de cinquenta mil luso-canadianos.

 


Boulevard Saint Laurent (La Main) Os primeiros portugueses estabeleceram-se no Quartier St-Louis, à beira-Main (Boul. Saint-Laurent),  onde, com perseverança e trabalho árduo, mudaram radicalmente a fisionomia arquitectural do bairro, o que lhes valeu a atribuição de prestigioso prémio urbanístico (Ordre des Architectes du Québec,1975).










Bairro Português S endo Montreal a primeira cidade canadiana onde
os portugueses se estabeleceram é, pois, natural que   a maioria das mais antigas instituições e organizações luso-canadianas tenham sido fundadas nesta cidade.









Associação Portuguesa do Canadá

DATA DA FUNDAÇÃO: 

Associação Portuguesa do Canadá, 1956

Jornal Luso-Canadiano,1959

Jornal A Voz de Portugal, 1961

Casa dos Portugueses de Montreal, 1961

Rádio Hora Portuguesa, 1962

Jornal Lusitano, 1964

Movimento Democrático Português, 1964

Missão Portuguesa de Santa Cruz, 1965

Clube Portugal de Montreal, 1965

Grupo Folclórico Português de Montreal, 1966

Caixa de Economia dos Portugueses de Montreal, 1969

Escola Portuguesa de Santa Cruz, 1971

Escola Português do Atlântico, 1972

Filarmónica Portuguesa de Montreal, 1972

Centro Português de Referência e Promoção Social, 1972

Escola Secundária Lusitana, 1975

Casa dos Açores do Quebeque, 1978

Inauguração da Igreja Santa Cruz, 1986




Mesmo se  o 
Boul. Saint-Laurent e o  Plateau Mont-Royal estão em acelerada fase de transformação, ainda é nessa área  que bate o coração da Comunidade Portuguesa, num quadrilátero  designado por Bairro Português que engloba o Parc du Portugal, a Missão Santa Cruz, a Caixa Portuguesa e algumas das mais prestigiadas associações recreativas e culturais da Comunidade.



Senhor Santo Cristo dos Milagres Como em quase todas as comunidades da América do Norte, a maioria da Comunidade Portuguesa é de
origem açoriana, o que se reflecte  principalmente nas manifestações de carácter religioso, com destaque para os festejos do Senhor Santo Cristo e do Divino Espírito Santo que já se incrustaram no imaginário colectivo da Comunidade e,  pode-se afirmá-lo, são uma componente essencial da nossa identidade cultural nestas terras.
Também merece destaque a festa em honra da
Nossa Senhora do Monte (organizada pelos Madeirenses de Montreal) que atrai grandes multidões no mês de agosto.





Gastronomia Portuguesa em Montreal A cozinha portuguesa levou certo tempo a afirmar-se mas já alcançou um prestígio digno de nota. O ramo da restauração, cada vez mais florescente,   é presentemente um dos  mais sólidos esteios   da afirmação cultural e económica dos portugueses na sociedade de acolhimento.






Parc du Portugal em Montreal N o Parc du Portugal,  com um traçado que respeita a arquitectura tradicional portuguesa,   onde não foram esquecidas a calçada e a azulejaria portuguesas, avulta um imprescindível  coreto encimado pelo típico galo de Barcelos, tudo sob a protecção de um soberbo padrão de pedra a relembrar os tempos gloriosos das descobertas.  É incontestavelmente um lugar emblemático da comunidade,  palco privilegiado para as cerimónias de abertura das mais relevantes comemorações, com evidência para o 10 de Junho, dia  de Portugal, de Camões e das Comunidades.



Café Central na Rue Duluth À
beira-Main, entre outros estabelecimentos comerciais,  encontramos aprazíveis padarias e pastelarias que se mantêm fiéis aos métodos tradicionais do fabrico da doçaria e do pão portugueses.

Vários cafés ainda guardam o encanto, quase inexplicável, dos vetustos cafés de Portugal onde ainda se pode  jogar  uma animada partida de dominó ou disputada suecada, sempre com um olho no ecrã da televisão onde corre frequentemente mais um jogo de futebol, motivo para acesas discussões e animada algazarra



Igreja Santa Cruz A os domingos de manhã, o carrilhão da Igreja Santa Cruz repica alegremente chamando os fiéis para a missa e para dois dedos de conversa no adro. Então quando se celebra mais um casamento ou baptizado, o bulício, a azáfama  e o trajar endomingado pedem meças ao aparato das cerimónias nas lonquínquas, e tão perto, aldeias portuguesas.
Na
Missão Santa Cruz, lugar de diversificadas actividades, está instalado um lar para pessoas idosas e funcionam uma escola de língua portuguesa e a UTL,Universidade dos Tempos Livres





Livro de Manuel Carvalho O s escritos  de um razoável punhado de
Autores, que ao longo dos anos, semearam as suas experiências e emoções por Jornais, revistas e livros, são um precioso manancial de informação que nos relatam, de  forma fidedigna e comovente,  a vivência quotidiana  das nossas gentes no novo mundo.









50 Anos da Chegada ao Canadá-2003 N os festejos comemorativos dos 50 anos  da chegada oficial dos primeiros portugueses a Montreal ainda foi possível reunir um punhado dos pioneiros aos quais foi prestada
sentida homenagem em singela cerimónia que decorreu no dia 10 de Junho de 2003 no Parc du Portugal. Foi  graças ao pioneirismos, à coragem, à abnegação e à perseverança destes homens  que a Comunidade Portuguesa de Montreal, que  chegou a estas paragens em demanda de nova vida e de mais rasgados  horizontes, se conseguiu afirmar e fazer respeitar como uma das grandes obreiras desta cidade.



Livro de Joaquim Eusébio F ruto de muito esforço e dedicação, o ensino da língua portuguesa aos jovens luso-descendentes é ministrado em Montreal, nas já consagradas
“Escolas de Sábado”.
São elas o mais importante bastião de defesa e preservação da língua portuguesa enquanto instrumento de expressão das nossas emoções mais profundas e de comunicação da nossa cultura e dos valores que nos definem como grupo com uma identidade própria.






Universidade C onsequência da maior visibilidade da Comunidade e com a importância crescente do espaço lusófono no mundo, o ensino da língua portuguesa alcançou, nos últimos anos, maior evidência no ensino universitário, com realce para a Université de Montréal onde é leccionado um
Curso de Língua Portuguesa e Cultura Lusófonas e, mais recentemente, foi criada uma Catédra de Cultura Portuguesa.




Bien C om o advento das novas tecnologias e com o desenvolvimento dos meios de comunicação é possível começar a inventariar e a fazer o registo dos portugueses e lusodescendentes de Montreal ligados às letras e às artes que, com o seu labor e criatividade, enobrecem e divulgam a cultura lusófona.

A gradual implicação dos
portugueses na vida política e social da cidade de Montreal começa a dar os seus frutos e a Comunidade já se pode ufanar de ter alguns dos seus membros colocados em posições de certo relevo.

O sucesso escolar e a inserção harmoniosa dos luso-descendentes na sociedade de acolhimento são os grandes desafios que a Comunidade enfrenta. Também no desporto os luso-descendentes se começam a salientar e a alcançar um prestígio internacional que honra a comunidade portuguesa.






Elementos S eria imperdoável não mencionar os ranchos folclóricos, filarmónicas, grupos musicais e associação recreativas e culturais que, com as suas actividades, ao longo do ano, pincelam com cores mais vivas e garridas, o rosto da Comunidade.






Livro de Manuel Moura A História  deste fascinante, e tantas vezes atribulado, percurso, está profusamente ilustrada na vasta
Bibliografia que,  com maior ou menor rigor documental, entretanto foi surgindo.






Links A sociedade de acolhimento já demonstra certo interesse pela trajectória sociocultural da Comunidade Portuguesa. Aqui iremos reunir alguns
LINKS que consideramos de grande interesse divulgar.



Fogo N o festival dos
Feux d'Artifice de Montréal, que decorre anualmente em Junho e Julho, Portugal, pela alta qualidade do seu fogo, já ocupa um lugar de prestígio o que é enorme motivo de orgulho para a Comunidade Portuguesa.








Parque Foi recentemente inaugurado o Parc des Açores que vem enriquecer ainda mais o património do nosso Bairro. O motivo arquitetónico de maior realce é uma escultura em basalto que representa as nove ilhas do arquipélago.



A ssiste-se presentemente a uma mobilização das forças vivas da Comunidade no sentido de proceder à demarcação geográfica do BAIRRO PORTUGUÊS com o objectivo de dar maior relevo e visibilidade à presença portuguesa em Montreal.
Será esta a forma mais condigna de reconhecer e de homenagear a primeira geração de portugueses que, com mãos calejadas, por entre saudades e esperanças, recriaram, pedra a pedra, à beira-Main o seu
JARDIM À BEIRA-MAR PLANTADO.


O Bairro Português é um espaço afectivo que cresceu à beira-Main


Painel de Azulejos, feito pelos alunos da UTL, que representa o Bairro Português de Montreal, inaugurado no dia 14 de Maio de 2008, no Centro Comunitário Santa Cruz


O BERÇO DA COMUNIDADE PORTUGUESA DE MONTREAL



Ver mapa maior

Placa instalada no Boul. St-Laurent(Petite Italie)

EM PERMANENTE CONSTRUÇÃO-Autor:Manuel Carvalho


Nota: As informações para construir esta página foram recolhidas nas obras da Bibliografia

VOLTAR...BACK...RETOURNER